MRMarketing.png

Melhores práticas: Lead generation no mercado telecom

Telecomunicações: Captação, retenção ou recuperação

 

A diretora da MR Marketing, Ana Karina Delgado Fontes, deu uma entrevista para a revista Marketing Direto em 2014 referente à concorrência acirrada no mercado telecom e como utilizar o marketing da melhor forma possível captar novos clientes e se manter frente à concorrência. 
 
A abertura do setor de telecomunicações faz com que os usuários do sistema sejam disputados com unhas e dentes. Como grandes usuários de Marketing Direto, ao lado do setor financeiro, as empresas do segmento focam suas ações em captação e na manutenção da base, por isso precisam estar em contato constante com seus clientes, proporcionando ofertas, pacotes e oportunidades de negócios.
 
Uma das ações de marketing para se manter ativo com o cliente é o CRM. Estreitar laços efetivos com o cliente não é mais só gentileza. Agora, ou você concede tratamento VIP permanente ao usuário ou o estará entregando de bandeja à concorrência, ainda mais com a portabilidade. Por isso, as empresas precisam investir muito na qualidade das informações, o CRM que alimenta as estratégias de Marketing Direto. “Caso contrário, é o mesmo que se ter uma Ferrari e abastecer com gasolina ‘batizada’, de baixa qualidade”.
Ana Karina, afirma que no sentido acadêmico da palavra, nenhuma das empresas praticam efetivamente o CRM. “Entretanto, todas elas estão sim, utilizando ferramentas de CRM de apoio, seja de forma mínima, relacionado à gestão de seus pipelines de vendas, até integrações com outras áreas de apoio ao cliente”.
A tendência clara para o setor de telecom no que diz respeito às estratégias de comunicação são claras: investir no diálogo, em customizações, ações mais direcionadas para nichos específicos, até pelo advento do BigData. Mas para esse cenário acontecer, precisa haver investimento. E eles não param de crescer. “Todas as estratégias  que falam com o cliente de forma mais próxima, com ofertas mais customizadas, têm recebido uma atenção especial das empresas telecom, sobretudo no que se refere a programas de lead generation no b2b”, afirma a diretora da MR. “Saltamos de um patamar de 30% para 50% a 60% do budget destinado a ações de lead generation no b2b”.

 

Confira a entrevista completa: